Black Friday: Promoções e anúncios falsos na internet confundem; veja dicas

A próxima sexta-feira (23) é marcada, no calendário do setor do comércio, pela Black Friday, dia em que as lojas fazem grandes promoções em seus produtos, atraindo a clientela com preços abaixo do comum praticado durante o ano. Acontece que, ao mesmo tempo em que se encontram boas promoções, também é possível identificar fraudes na hora de ir às compras.

Um dos ambientes que estão mais recheados com anúncios falsos de promoções é a internet. Os cybercriminosos se aproveitam da excitação dos consumidores no dia da Black Friday, para falsificarem anúncios de lojas famosas, colocando preços bem menores do praticado nessas lojas, enganando os compradores.

Especialista alerta consumidor

Sobre o assunto, o advogado especializado em Defesa do Consumidor, Sérgio Tannuri dá três orientações importantes para que o consumidor não caia em fraudes virtuais, especialmente durante a Black Friday.

O especialista informa que o cidadão deve pesquisar a reputação da loja, se ela possui denúncias ou reclamações (e se as solucionou) e observar também se a loja possui endereço físico e com canais de comunicação com o comprador, como chat, e-mail, números de telefone etc. Deve haver um desenho de cadeado no navegador, na parte superior da tela, onde digitamos o endereço do site. Ele significa que o ambiente é seguro e o consumidor pode efetuar a compra com tranquilidade.

Denúncia online

Se perceber que um site é falso, o consumidor deve procurar entidades de Defesa do Consumidor, como o Procon de sua cidade ou estado, por exemplo, e alertá-lo sobre o golpe, registrando sua reclamação para evitar que mais pessoas caiam nessa armadilha. Deve também procurar delegacias policiais especializadas em crimes virtuais para efetuar o Boletim de Ocorrência, já que tal medida é configurada como estelionato.

Recuperar dinheiro perdido

Para recuperar o investimento feito em uma compra fraudada, o consumidor deve ter em mãos a nota fiscal da compra e o Boletim de Ocorrência para tentar reaver o dinheiro na esfera cível competente. É importante que o consumidor anote todos os dados e detalhes da compra. Horário que visitou o site, que finalizou a compra, horário que o pagamento foi autorizado pelo banco. Tudo isso serve para fortalecer as provas de que você foi enganado e merece o dinheiro de volta.

Procon-JP

O superintendente do Procon de João Pessoa, Helton Renê, explicou que o órgão possui uma equipe especializada para tratar com o consumidor com problemas de compras na internet. “O consumidor deve seguir nossos conselhos e, é claro, se tiver um problema, tirar print de telas, enviar e-mail, e procurar o Procon de João Pessoa se tiver um problema maior”, disse.

O Procon-JP atende pessoalmente, na sede da entidade, que fica localizada na Av. Dom Pedro I, Centro ou via telefone, pelo número 08000-832015, que é gratuito inclusive para celular e também através das redes sociais do órgão.

Fonte: Portal Correio

Postar um comentário

0 Comentários