Sobre os atiradores em Suzano-SP, Pastor Jader Medeiros

O Pior é que cada vez que isto acontece, desperta um desejo diabólico em quem já está pensando em fazer e nunca teve coragem. Temos jovens cada vez mais doentes psicologicamente e espiritualmente. Criados pelos celulares e jogos. Muitas vezes incentivados pelos próprios pais desde crianças na tentativa de "se livrar dos aperreios" que toda ela dá. Criar é muito mais do que dar comida e roupa.

É dar atenção. Ouvir, participar, orar com e por. Infelizmente o tempo que vivemos os pais estão terceirizando a educação para professores. Mas este é o nosso papel. Quase todo jovem e adulto transgressor foi uma criança não acompanhada de perto. Vamos brincar com nossos filhos, ajudar na tarefa de casa, dar instrução verbal e às vezes umas palmadinhas. O bullying por si só não justifica o que ocorreu.

Quando criança fui chamado de "ferrugem", "magrelo", "bichinha"... E por aí vai. Sempre existiu e sempre vai existir. Mas a forma como eles estão lidando com as críticas é que mudaram. Porquê? Estamos formando uma geração fraca e carente em casa.

Ausência de afeto e segurança contínua é devastadora. Temos que ser presentes. Para reduzir o risco permanente de vê-los tragados pelo mundo. Muitos levam seus filhos para as festas, os clubes, os games, os balneários... E a Igreja? Quando a sociedade tenta seguir sem fé e educação cristã, ela colapsa.

Pr. Jader Medeiros

Postar um comentário

0 Comentários