A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) divulgou nesta terça-feira as novas Condições de Elegibilidade de Clubes para disputa da Libertadores 2020 e Copa Sul-Americana 2020.

As novas regras são as seguintes:

a) Ter se classificado para a competição por mérito esportivo
b) Não estão cumprindo uma sanção ou suspensão que a critério da Conmebol o impossibilite de participar da Libertadores ou da Sul-Americana
c) Ter obtido a Licença de Clubes da Conmebol expedida por sua associação membro
d) Estar disputando o torneio nacional de sua associação membro na divisão principal da competição em 2020 (ou seja, não ter sido rebaixado no torneio nacional)
e) Emitir em tempo hábil a Carta de Conformidade e Compromisso

Entre as alterações, a que mais chama a atenção é o item d, que não permite que um time que tenha sido rebaixado em 2019 dispute a Libertadores ou a Sul-Americana já em 2020.

Ou seja: caso o campeão da Copa do Brasil 2019 seja rebaixado no Campeonato Brasileiro 2019, ele será impedido de jogar a Libertadores na próxima temporada pela Conmebol.

Além disso, clubes como Paysandu, Sampaio Corrêa e Juventude, que atualmente militam na Série C, não terão permissão para jogar a Libertadores 2020 caso ganhem a Copa do Brasil, pois estarão no máximo na Série B no ano que vem.

Caso essa mudança já estivesse em vigor há alguns anos, o Palmeiras teria sido cortado da Libertadores 2013, por exemplo, já que o Verdão ganhou a Copa do Brasil 2012, mas acabou caindo no Brasileirão 2012.

Dessa forma, o clube palestrino jogou a Libertadores 2013 mesmo estando na Série B.

No futebol brasileiro, ainda houve casos como os do Santo André e do Paulista de Jundiaí, que foram campeões da Copa do Brasil e jogaram o maior torneio continental da América do Sul, mesmo estando em divisões inferiores em seu próprio país.

ESPN