O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) acontece nos dias 3 e 10 de novembro. Até lá, 6,38 milhões de estudantes, entre eles 174 mil da Paraíba, sofrem com a ansiedade pela prova. O quadro Lá Vem o Enem, do Bom Dia Paraíba, dá dicas de como se preparar para lidar com as dificuldades emocionais.

Os estudantes Lucas Menezes e Laís Leite estão entre os estudantes ansiosos. Lucas pretende cursar medicina e Laís, direito. A responsabilidade da prova tem sido um desafio para ambos:

“Ansiedade é bem grande, porque eu já fiz Enem no primeiro e segundo ano (do ensino médio), mas como treineiro, então só agora que é pra valer. Como é a primeira vez pra valer, eu tô bem nervoso, a ansiedade é bem grande”, conta Lucas.

Para Laís, a pressão da prova é natural, tanto a da família quanto a dela mesma. “Eu acho que a pressão pro Enem é uma coisa natural, que mesmo que não seja intencional da família, da escola, até da gente mesmo, acontece porque é um ano de decisão… mas a pior pressão é a da gente mesmo, da cobrança… mas eu acho que com o apoio, tanto da família e da escola, dá sim pra controlar”, diz a estudante.

A psicóloga Livânia Guimarães ressalta a importância do apoio familiar, assim como não pressionar os filhos em relação à escolha da profissão. Muitas vezes os pais alimentam sonhos que não batem com os dos filhos, diz Livânia.

“Evitar essa pressão, porque já é uma pressão interna natural, eles sabem a que estão se submetendo. Incentivar, acreditar. Sempre acreditar no filho porque ele é capaz, se ele chegou até o terceiro ano, ele chega na universidade”, diz a psicóloga.

No Lyceu Paraibano, há o “Projeto de Vida” dedicado aos alunos do terceiro ano. O professor Hélcio Porto, responsável pelo projeto na escola, conta que o objetivo da atividade é auxiliar os alunos para que alcancem seus sonhos, além de aproximar ainda mais a relação dos estudantes com os professores.

No “Projeto de Vida”, os professores indicam, favorecem e até modificam a trajetória do aluno até alcançar o objetivo do estudante, intercalando as disciplinas eletivas com os estudos dirigidos e trabalhando diversos temas.

Para ajudar os estudantes na rotina de estudos, o psiquiatra Charles Lucena indica um bom sono, essencial para que as informações adquiridas ao longo do dia se estabeleçam na memória do aluno e também para as informações dos estudos do dia seguinte sejam bem recebidas.

Evitar o uso de medicamentos psicoestimulantes, segundo o médico, é recomendado. A medicação usada para tratar do transtorno do déficit de atenção com hiperatividade não deve ser consumida por pessoas que não possuem o transtorno. O psiquiatra comenta que a utilização pode acarretar sérios problemas de sono, depressão, ansiedade e até riscos maiores.

“Vamos tentar racionalizar esse momento que se vive, essa necessidade que se tem de manter o foco, atenção, a concentração. Tem que entender qual é o seu objetivo, o objetivo desses alunos é passar no Enem, é de certa forma ser bem sucedido, então você trazer a razão pra si, entender teu objetivo… dividir o estudo com outras atividades e hobbies que podem relaxar, tudo isso é importante para manter a cabeça sã, descansar bem e continuar nesse objetivo”, afirma.

Fonte: G1