Farmanunes


Filtro de luz azul pode prejudicar mais o sono que a própria luz azul

Filtro de luz azul desligado (à esquerda) e ligado. (Fonte: Gizmochina)

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Manchester, os filtros de luz azul podem ser mais prejudiciais para o sono que a própria luz azul. Quando ativado, o filtro de luz azul deixa a tela com uma cor mais amarelada, com a intensão de favorecer um sono mais tranquilo para os usuários. Por isso, o recurso é, frequentemente, chamado de “night light”.

Com a popularização de telas de LCD (TVs, notebooks, monitores, smartphones, etc.), estudos indicaram que a luz azul é prejudicial ao sono, pois é capaz de reduzir a produção de melatonina, o hormônio que nos ajuda a dormir, principalmente à noite. No entanto, há alguns especialistas que não creem nessa possibilidade com tanta convicção. Foi essa descrença que motivou a pesquisa de Manchester.

Como o estudo foi realizado

Os pesquisadores usaram ratos expostos a uma iluminação projetada para ajustar a temperatura de cor sem alterar o brilho. Os animais foram observados diante de várias tonalidades testadas. No final, foi possível perceber que as células cone sensitivas à cor, no olho, são mais responsivas à cor amarela do que ao estímulo da melanopsina à luz azul. Isso significa que usar o dispositivo com o filtro de luz azul ativado pode te deixar mais alerta e acordado do que se ele estivesse desligado.

Considerações

O estudo de Manchester não tem uma conclusão definitiva, já que foi realizado apenas com ratos e não com seres humanos. Além disso, ele não foi feito em nível microbiológico: o estudo foi apenas observacional.

Ainda assim, ele pode apresenta indícios de que os estudos anteriores podem não estar totalmente corretos, ou, no mínimo, que a luz azul não afeta a sono de todos os animais da mesma maneira.

De qualquer forma, é recomendado não fazer uso de dispositivos eletrônicos próximo da hora de dormir, pois, além do brilho da tela, o próprio conteúdo de filmes, jogos e redes sociais pode impactar na qualidade do seu sono.

TecMundo

Postar um comentário

0 Comentários