Reportagem da Globo News destaca produção de máscaras feitas de renda renascença na Paraíba

A confecção de máscaras de proteção contra o novo coronavírus por rendeiras do Cariri paraibano, que integram o Programa do Artesanato da Paraíba (PAP), foi destaque em uma reportagem da GloboNews. A reportagem foi exibida nesta terça-feira (21) no telejornal do canal "Edição das 18h".

Conduzida pela jornalista e âncora do telejornal, Leilane Neubarth, a reportagem mostrou toda a criatividade das rendeiras na confecção das máscaras, feitas com uma tipologia símbolo do artesanato paraibano: a renda renascença. Essa também foi uma alternativa que as artesãs encontraram para gerar renda no momento atual.

Presente em cinco municípios do Cariri paraibano, a renda renascença tem recebido todo o estímulo possível do Governo do Estado, a exemplo de cursos de qualificação ministrados por profissionais como o estilista Ronaldo Fraga, reconhecido internacionalmente. 

Na reportagem, a GloboNews mostra que a confecção de máscaras pelas rendeiras caririzeiras, que além de serem um acessório importante na luta contra a covid-19, tem sido uma boa fonte de renda para as mulheres, que há anos preservam a tradição da renda renascença no Estado. 

Outro ponto destacado é a criatividade das rendeiras na confecção das máscaras, que trazem estampas de chapéu de couro, simbolizando o vaqueiro nordestino, e de uma árvore típica da região: o mandacaru.

"São peças alegres, cheias de arte e bem brasileiras", diz um trecho da reportagem feita por Leilane Neubarth, que, ao fim, comenta: "Essas moças merecem o nosso incentivo e a vida merece proteção", em referência à compra das máscaras por telespectadores que tenham ficado interessados.

A gestora do Programa do Artesanato da Paraíba, Marielza Rodriguez, destacou que a projeção do artesanato paraibano significa o reconhecimento de um trabalho que tem se consolidado pela qualidade, sem abrir mão da identidade. "Além disso, essa reportagem mostra que o artesanato do nosso Estado não é apenas cultura, geração de renda para centenas de famílias, mas engajamento na luta da sociedade em momentos difíceis, como este que a humanidade está vivendo", acrescentou. 

Maria Regina Gomes, de São Sebastião de Umbuzeiro, uma das rendeiras disse que após a reportagem recebeu muitas encomendas, além de elogios pelo trabalho. 

"Cada uma de nós produz cerca de dez máscaras por dia, isso porque a renda renascença exige um trabalho muito dedicado, muito bem feito", destacou a artesã.

Para encomendas, os telefones são os seguintes: (83) 9 9911-2909/9 9960-4851 e 9 9629-3688.

O trabalho

O trabalho desenvolvido pelo Governo do Estado conta também com a parceria do Sebrae. A gerente do Sebrae-Cariri, Madalena Arruda, ressaltou a importância da parceria. "Esse trabalho é fruto das atitudes empreendedoras que as rendeiras já vêm desenvolvendo, ou seja, estão respondendo ao chamado", comentou.

Tradição

De acordo com o Programa do Artesanato da Paraíba, são cerca de 3 mil rendeiras que trabalham com a renda renascença no Cariri paraibano, divididas em cinco municípios: Camalaú, Monteiro, São João do Tigre, São Sebastião de Umbuzeiro e Zabelê.

Algumas das rendeiras estão em associações e cooperativas, que juntas formam o ConaRenda, um conselho que conta com a diretoria das próprias artesãs, em parceria com o Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase), Sebrae e as prefeituras desses cinco municípios.

ClickPB

Postar um comentário

0 Comentários