Guarda o Teu Pé; por Abdias Campos

Para toda necessidade o cristão deve orar pedindo a Deus, em nome de Jesus, que lhe conceda a resposta, pela Palavra, acerca daquilo que pleiteia junto a Ele. Não promessas ao Senhor. “Guarda o teu pé, quando entrares na Casa de Deus; e inclina-te mais a ouvir do que a oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal. Melhor é que não votes do que votes e não pagues” (Eclesiastes 5.1,5 | ARC).

Não devemos entrar na presença do Senhor precipitadamente, falando pelos cotovelos. “Guarda o teu pé, quando entrares na Casa de Deus.” Não abra a boca prometendo coisas a Deus, dizendo que vai fazer isso e aquilo. “Inclina-te mais a ouvir do que a oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal”. Peça a Ele a Palavra que corresponda à resposta que deseja. Recebida a resposta, agradeça e diga a Ele que vai fazer exatamente como Ele disse. Não avalie depois a resposta do Senhor, achando que pode ser de outro jeito; não permita que o inimigo torça o compromisso firmado com o Todo-Poderoso. “Melhor é que não votes do que votes e não pagues.” Melhor é não assumir o compromisso com o Pai do que não o cumprir.

“Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar e nada se lhe deve tirar. E isso faz Deus para que haja temor diante dele. O que é já foi; e o que há de ser também já foi; e Deus pede conta do que passou” (Eclesiastes 3.14-15 | ARC).

Leia, releia, medite, acredite e ponha em prática o que está escrito nesses dois versículos acima. Isso é Escritura Sagrada; tem poder de execução. “O que é já foi”, porque já está estabelecido e não muda, não volta atrás. “E o que há de ser também já foi”, pelo mesmo princípio constituído da imutabilidade de Deus. “Eu sou o Senhor e não mudo” (Malaquias 3.6 | NTLH). “E Deus pede conta do que passou.” Pois, se nos aproximamos dEle crendo que Ele é Deus e galardoador dos que O buscam, não podemos duvidar de tal coisa.

As curvas do mundo de tentação podem levar o homem ao chão se ele não se mantiver seguro na destra de Deus e nela permanecer firme, pois muitos são os laços do inimigo lançados a toda hora em direção aos filhos do Reino.

“Também vi eu que todo trabalho e toda destreza em obras trazem ao homem a inveja do seu próximo. Também isso é vaidade e aflição de espírito” (Eclesiastes 4.4 | ARC). Não deseje o que Deus deu ao outro; é dele. Não permita que a sua carne lateje por coisas que não lhe pertencem; submeta-a. “Antes, subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado” (1Coríntios 9.27 | ARC). As aflições de espírito são decorrentes de desejos carnais. Resolva isso de uma vez por todas, olhando para as coisas que são de cima e não se entremetendo com as coisas deste mundo (Colossenses 3.1-2). Guarde sempre o seu pé, ou seja, os seus passos, a sua caminhada em Cristo Jesus, nosso Senhor e Deus, e viva feliz. Amém.

Na alegria do Senhor, que é a nossa força,
Abdias Campos, servo do Deus vivo

Postar um comentário

0 Comentários