Sujeitos a Deus; Libertos do Mundo, por Abdias Campos

A simplicidade do Senhor para nos ensinar e a Sua grandeza em cuidar de nós com zelo e autoridade nos fazem entender quão insubstituíveis são as Suas instruções. Por Seus ensinamentos alcançamos a transformação de todo o nosso ser, de maneira que somos despojados da velha criatura e partimos com Cristo para novidade de vida, sem que os velhos e desagradáveis costumes nos acompanhem mais. Assim, aprendemos com o nosso Pai a viver em completa sujeição a Ele e não aos nossos caprichos tolos.

“Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo” (Filipenses 2.3 | ARC).

No versículo acima o Senhor fala conosco acerca de duas inimigas do ser humano que devem ser desprezadas pelos que servem ao Senhor Jesus, as quais jamais podem fazer parte do comportamento do crente fiel: a contenda e a vanglória. “Nada façais por contenda ou por vanglória.” A contenda incita a pessoa a discutir acerca de temas oriundos de compreensões carnais ou de inchaço de entendimento. Ao servo do Senhor não convém contender: é sim se for sim; é não se for não. Entretanto, alguns contendem até mesmo sem interlocutores, apenas através de pensamentos malignos que concebem contra alguém que tenham identificado por adversário, mesmo não sendo. A vanglória é a presunção que leva a pessoa tomada por ela a se achar tão limpa que se ofende a ser-lhe oferecido um banho. Retire do seu coração essas pedras de tropeço que só farão com que você se desnude espiritualmente e seja desacreditado em seu ministério. Testemunhe o amor de Cristo.

O contraveneno dessas coisas é a sujeição ao Senhor, sob a qual a Palavra nos leva a não fazermos nada por contenda ou por vanglória, “mas por humildade”. Isso só é possível estando resolvido em nós que “cada um considere os outros superiores a si mesmo”. Considerar os outros superiores a nós mesmos só é possível se formos convertidos inteiramente ao senhorio de Deus sobre nós. A sujeição a Deus é algo tão grandioso que só os que estão inteiramente livres do mundo a alcançam.

Podemos concluir a mensagem debaixo da autoridade do Espírito Santo de Deus, sugerindo, como complemento do entendimento anterior, que todos reflitam sobre o versículo a seguir: “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus” (Salmo 51.17 | ARC). O contrário de todo esse versículo, por analogia, é verdadeiro. Sem espírito quebrantado, não há sacrifício ao Senhor; e um coração que não é quebrantado, ou seja, não é humilde, e não é contrito, isto é, não se arrepende do mal que faz, será desprezado por Deus.

É verdade que Deus não quer desprezar a ninguém, mas a Sua retidão não se entorta para ajudar os tortos. É preciso que os tortos aceitem as mãos modeladoras do Senhor endireitando as suas veredas. Precisamos nos sujeitar a Deus e aos Seus ensinamentos para vivermos o concerto de paz, a liberdade e a alegria que há em Cristo Jesus e não no mundo. Medite. Aceite. Deus o abençoe. Amém. Glórias ao Senhor!


Na alegria do Senhor, que é a nossa força,

Abdias Campos, servo do Deus vivo

Postar um comentário

0 Comentários