“Nunca me assentei no congresso dos zombadores, nem me regozijei; por causa da tua mão, me assentei solitário, pois me encheste de indignação” (Jeremias 15.17 | ARC).

Vamos examinar parte por parte do versículo acima para cumprirmos o que nos ordena o Senhor. A decisão do que faremos ou do que não faremos depois de conhecermos a Verdade eterna é fundamental para não sermos mais enganados pelo mundo e para acertarmos sempre na comunhão com Cristo Jesus.

“Nunca me assentei no congresso dos zombadores, nem me regozijei.” Assim, podemos olhar para nós mesmos, novas criaturas, e nos assegurarmos no Senhor de que os assentos comunitários dos zombadores jamais foram e nunca serão ocupados por nós, filhos de Deus, “por causa da tua mão”, por conta do trabalho que o Senhor nos dá a fazer, por conta do testemunho santo que está sobre nós.

Por sermos servos feitos filhos de Deus, não nos alegramos com a algazarra do mundo pecador. Decidimos nos separar das fanfarras traiçoeiras do que é vil; por isso, “me assentei solitário”. Preferimos nos afastar da companhia do mundo de pecados, para vivermos na presença do Senhor. O Senhor é a nossa companhia constante que nos dá segurança e nos faz repudiar o mal, “pois me encheste de indignação”.

O Senhor sempre oferece uma oportunidade de arrependimento para quem anda fora do Caminho. Vamos meditar um pouco no versículo abaixo sob a direção do Espírito Santo de Deus.

“Portanto, assim diz o Senhor: Se tu voltares, então, te trarei, e estarás diante da minha face; e, se apartares o precioso do vil, serás como a minha boca; tornem-se eles para ti, mas não voltes tu para eles” (Jeremias 15.19 | ARC).

Se você anda afastado do Senhor, Ele lhe oportuniza a reconciliação: “Portanto, assim diz o Senhor: Se tu voltares, então, te trarei, e estarás diante da minha face”. Se você voltar, Ele mesmo vai trazê-lo: “então, te trarei”. Ele não vai trazê-lo para colocá-lo num calabouço de castigo, não. Deus o trará para você habitar em Sua presença: “e estarás diante da minha face”. O Senhor tudo fará para você ter vida plena.

Na segunda parte do versículo Deus estabelece uma aliança com você: “e, se apartares o precioso do vil, serás como a minha boca”. O precioso é o caráter de Deus, é a Sua Palavra, é a santidade do Senhor. O vil é o pecado, é a natureza do diabo, é o mal. Ao se separar definitivamente do lado abominável, voltando-se completamente para o Pai, Ele diz: “serás como a minha boca”. O que você falar terá poder de realização.

Na última parte do versículo o Senhor define a posição estratégica para você diante do mundo: “tornem-se eles para ti, mas não voltes tu para eles”. Você jamais deve voltar a ter comunhão com o mundo. Entretanto, permita que os que estão no mundo se voltem para você, venham a você para saberem o que causou tamanha transformação, ouçam o seu testemunho, a sua pregação. Assim seja, em nome do Senhor Jesus. Amém.

Na alegria do Senhor, que é a nossa força,

Abdias Campos, servo do Deus vivo