Somos despertados pelo enérgico chamamento dos céus para fazermos a obra de Deus. “Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina” (2Timóteo 4.1-2 | ARC).

Não se faz a obra de Deus senão por entendermos a vocação divina (Hebreus 3.1). Fora disso, são escolhas religiosas, pessoais, feitas pelo próprio homem. Entretanto, aquela que tem o caráter de convocação dos céus não se dá por escolha própria, mas porque o Senhor Jesus a escolheu. “Não fostes vós que me escolhestes; pelo contrário, eu vos escolhi e vos designei a ir e dar fruto, e fruto que permaneça, a fim de que o Pai vos conceda tudo quanto lhe pedirdes em meu nome” (João 15.16 | A21).

A vontade pessoal do servo de Deus que ouve a Sua voz e obedece a ela não prevalece mais em nada que faz. Assim, ele passa a ser tão somente um instrumento nas mãos do Senhor Jesus, um vaso a conduzir as Boas Novas com inteira sujeição. Negar-se a si mesmo, como Jesus determinou em Lucas 9.23, é fundamental para cumprir a missão. Na proclamação do evangelho não se pode pregar vontade própria nem dar opinião de fórum íntimo; não se escolhe temas por interesse pessoal. Busca-se do Senhor em oração e nas Escrituras e Ele dá aquilo que deve ser pregado, o alimento necessário para levar vida ao coração dos que recebem de bom grado.

Algumas pessoas, que ainda não compreendem como o Senhor usa os Seus servos, pensam que determinadas mensagens, escritas ou por pregação oral, que lhes são enviadas por Deus são obra do homem. Pensam que é apenas uma opinião própria, um recado específico para alguém, mas não é. É DEUS FALANDO COM A PESSOA que está recebendo a mensagem, usando o Seu servo, o Seu instrumento. Alguns chegam a censurar a mensagem como se ela lhes fosse dirigida diretamente pelo mensageiro de Deus, mas não é. Normalmente, ele nem sabe como a mensagem chega ao coração dos que a recebem. Contudo, o Senhor que a envia e o Espírito Santo que a entrega sabem muito bem.

O modo, o tema, as especificidades da mensagem de Deus variam conforme a oniciência que Ele tem da necessidade de cada um ou até mesmo como resposta de oração para outros. Portanto, receba sempre sem questionar, receba porque vem de Deus e é para o seu bem. O pregador que é submisso ao Senhor, e dEle recebe o que dá, cumpre ordens, nas quais está determinado “que pregues a palavra, instes [insistas] a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina” (2Timóteo 4.2 | ARC). A ordem é dada para pregar insistentemente independente das circunstâncias. Perceba que as formas da pregação variam, conforme está dito no versículo.

A primeira forma é REDARGUIR, ou seja, responder às pessoas, questionando-as sobre os seus procedimentos, fazendo-as meditar nisso.

A segunda é REPREENDER, isto é, censurar, advertir, acusar e condenar posturas pecaminosas, estimular energicamente as pessoas às boas práticas e aos bons comportamentos, segundo a Palavra de Deus. “Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé” (Tito 1.13 | ARC).

A terceira forma de pregação é EXORTAR, quer dizer, animar os desanimados e entristecidos por sofrimentos, aconselhá-los e encorajá-los a prosseguirem, a olharem para o alvo, que é Jesus, e a vencerem.

Todas essas formas de o Senhor falar conosco compõem o caráter do ser humano transformado por Ele para com Ele habitar eternamente. Ao pregador cabe fazer o que foi ordenado, e fazê-lo com longanimidade, sem tirar os olhos da missão, mesmo diante de afrontas e obstáculos. Devemos lembrar que nos foi entregue uma ordem: “que pregues a palavra, instes [insistas] a tempo e fora de tempo”.

Portanto, receba sempre a Palavra de Deus em seu coração do modo que ela vier; não a rejeite jamais. Faz parte do plano de Deus nos entregar a vida que Ele preparou para nós. Essa é a vida perfeita e abundante que o Senhor Jesus veio nos trazer. Motive-se em receber dEle todas as instruções; elas são para o seu bem. Que Deus o abençoe maravilhosamente. Amém.


Na alegria do Senhor, que é a nossa força,

Abdias Campos, servo do Deus vivo