A paz na vida de um casal traz saúde para toda a estruturação da família e serve de exemplo para os que o rodeiam. A formação de um casal vai além, muito além, do desejo de se casar, de fazer uma grande festa, de ter uma casa para chamar de sua, de gostar um do outro, de ter alguém com quem possa contar diariamente.

A base do casamento exitoso é Jesus. Considere que são duas pessoas de diferentes famílias, homem e mulher, dois seres iguais e distintos, que trazem consigo, individualmente, modos e ritmos diferentes. Portanto, para que a harmonia reine e haja paz na convivência entre os dois, devem se ligar a Jesus. Devem chegar ao casamento com espírito quebrantado, carregando em si a decisão de renúncia do ser individual, o qual a partir desse momento tem a missão excitante e desafiadora de compreender o outro para ajudá-lo.

“Também se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará?” (Eclesiastes 4.11 | ARC). O papel de um é aquentar o outro, e não a si mesmo. Aquentar-se a si mesmo é consequência de aquentar ao outro. É necessário ter Jesus nessa maravilhosa instituição para não virar frustração sob a manutenção de uma coisa tão somente aparente.

“Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade” (Eclesiastes 4.12 | ARA). A terceira dobra é o Senhor; Ele é indestrutível. Devem pôr Jesus no seu casamento.

Não obstante, talvez eles tenham se casado ainda como pecadores, que ignoravam a salvação de Cristo e foram tocando adiante sob as luzes artificiais dos neons do mundo, até que um dia um deles percebeu que sem Jesus nada se pode fazer, e se converteu. Então, o convertido leva para o casamento o poder e a santidade de Deus, que o fará santificar o outro, antes mesmo de o outro se converter. “Porque o marido descrente é santificado pela mulher, e a mulher descrente é santificada pelo marido. Doutra sorte, os vossos filhos seriam imundos; mas, agora, são santos” (1Coríntios 7.14 | ARC). O projeto de Deus é de salvação de toda a família, porque está escrito: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa” (Atos 16.31 | ARC).

O testemunho santo de uma pessoa salva é um dos passos mais importantes no processo de transformação do núcleo familiar. A mudança do que se converte, vista a olhos nus, é constrangedora ao que ainda não se converteu. A graça é gratuita e faz coisas tremendas. O preço é apenas aceitá-la e vivê-la na prática diária. O campo gerador de milagres que salva a vida do outro é posto em ação através da oração e do testemunho santo. O crente tem o dever de orar sempre e nunca desfalecer, como foi ordenado pelo Senhor Jesus em Lucas 18. A mulher santa ora pelo marido descrente e o marido santo ora pela mulher descrente, apresentando cada um a sua razão na oração a Deus. E esta é a razão: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa”. Você pode dizer em oração a Deus, em nome de Jesus, que ouviu e entendeu a Sua Palavra e por isso pede que o seu ente querido seja salvo também. Você diz: “Eu já vim, Senhor. Traga ele ou ela, também. Amém”. O Senhor vela por Sua Palavra para cumpri-la.

Contudo, entenda que os que ainda estão em fornicação (vivendo juntos sem serem casados) precisam se acertar com Deus, porque os fornicadores não herdarão o Reino (Efésios 5.5).

Que o Senhor Jesus os faça crescer e compreender mais as boas coisas do céu para a sua vida. Que o resplendor da glória de Deus ilumine o seu caminho de felicidade. Que Deus os abençoe imensamente em seu casamento e na sua vida familiar; que tenham paz, saúde, amor e prosperidade. Amém.


Na alegria do Senhor, que é a nossa força,

Abdias Campos, servo do Deus vivo