A Vida é Jesus Cristo, Senhor e Mestre, por Abdias Campos

Duas situações distintas, um ensinamento eterno. Dois nortes, duas consequências. Que destino tomar?

“Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz” (Romanos 8.6 | ARC).

Se eu me inclino para a carne, que é o estado natural do homem, encontro morte; se me inclino para o Espírito, acho vida e paz. O que escolher?

A princípio, a escolha é fácil; contudo, as variadas situações que ocorrem na vida de uma pessoa camuflam as escolhas erradas, fazendo-as parecer certas, porque no calor do sangue, da carne, e não pelo Espírito, o erro aparece. “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz”. Se não tivermos uma decisão interior quanto a quem servir, escorregaremos em um determinado momento mesmo sem querer. Essas coisas estão nas entrelinhas do cotidiano. Precisamos submeter à paz do Espírito Santo as decisões pelas quais desejamos alcançar o efeito que queremos.

O Senhor ensina escolher o caminho certo, o qual nos leva ao resultado que desejamos. “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz”. O que é que eu desejo: morte ou vida e paz? Para que eu acerte na decisão, preciso examinar bem a questão debaixo da autoridade da Palavra de Deus, pois ninguém chega ao topo da montanha de ladeira abaixo. Não adianta fazer a escolha pela facilidade que possa encontrar. Agindo assim, ficamos mais distantes do lugar que almejamos.

Distante de onde se quer estar se sofre. O caminho oposto não leva ao lugar que se pleiteia. “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz”. E por nós mesmos não sabemos tomar o caminho certo. Se quisermos chegar ao ponto mais alto, temos que subir. Para subir, precisamos empreender maiores esforços. Vencer a preguiça é a decisão inicial. Para termos a resposta de Deus, necessitamos buscá-lO. Ouvir a Palavra de todo o coração, recebê-la com o espírito aberto é a decisão sábia para que sejam alcançadas VIDA E PAZ.

A inclinação, ou seja, a afeição, o apego pelas coisas da carne, pelas coisas mundanas, e não espirituais, é morte; o seu resultado está escriturado. Seguindo a direção da carne, dos desejos carnais, só se alcança morte.

Morte, nesse contexto, significa separação de Deus. Não é a morte física, mas a espiritual, o que é muito pior. Porque morrer fisicamente em Cristo é estar com Ele eternamente, e é infinitamente melhor estar com Cristo. Nesse caso, ao seu tempo, a morte física é uma dádiva do Senhor. Entretanto, separar-se de Deus em vida é a pior escolha, porque o mundo está no maligno, o que constitui dizer que essa escolha trará morte como resultado, roubo e destruição em todas as áreas da vida. “Porque a inclinação da carne é morte.” Compreenda.

“Mas a inclinação do Espírito é vida e paz.” Se eu me inclino para as coisas espirituais, encontro nelas as marcas de Cristo, VIDA E PAZ. Terei nelas excelentes instruções de Deus para o descanso.

No versículo a seguir, temos a conclusão da escolha acertada que fazemos ao ouvir o Senhor Jesus: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14.6 | ARC). Escolhemos Jesus, entramos no caminho, encontramos a vida, achamos a paz.

Ouvimos a Palavra de Deus, que é o caminho, que é a verdade, e alcançamos sabedoria. A inclinação para as coisas espirituais, como apego natural, como dedicação cotidiana, é o que nos move para o alto. Isso é maravilhoso!

Somente assim podemos viver a vida e a paz do Senhor, porque no mundo não há vida, mas morte. A agonia ou a alegria de viver são determinadas por nossas escolhas. Escolha, pois, a vida. A vida é Jesus Cristo, Senhor e Mestre. Escolha ouvir e obedecer a Palavra; Ele é a Palavra. Amém.


Na alegria do Senhor, que é a nossa força,

Abdias Campos, servo do Deus vivo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem