Salmo 94 – Reflexão dos Nossos Tempos, por Abdias Campos

“Se o Senhor não fora em meu auxílio, já a minha alma habitaria no lugar do silêncio. Quando eu disse: O meu pé vacila; a tua benignidade, Senhor, me susteve. Multiplicando-se dentro de mim os meus cuidados, as tuas consolações reanimaram a minha alma” (Salmo 94.17-19 | ARC).

Se o Senhor não estendesse a Sua mão para mim quando eu descia às profundezas infernais pelo braço do pecado, travestido de alegria e de honra segundo o mundo, há muito teria morrido. “Se o Senhor não fora em meu auxílio, já a minha alma habitaria no lugar do silêncio.” Quando eu dei conta da queda que sofria no salão festivo das vaidades, quando eu confessei que o meu pé vacilava, a benignidade do Senhor me segurou. “Quando eu disse: O meu pé vacila; a tua benignidade, Senhor, me susteve.” Conheci o Senhor, eu O vi em mim, conduzindo-me a multiplicar o zelo pela paz que agora encontrara. Ao ouvi-lO, o Seu conforto reanimou-me a alma e uma vida nova floresceu como um jardim regado. “Multiplicando-se dentro de mim os meus cuidados, as tuas consolações reanimaram a minha alma.”

O Salmo 94 é uma excelente reflexão para entendermos as coisas à nossa volta. O Salmo 94 é um dos retratos bíblicos dos tempos atuais. É uma oportunidade de reflexão para a salvação. Aprouve ao Espírito Santo de Deus, que nos assiste em tudo, trazer-nos à contemplação alguns versículos deste Salmo para o nosso próprio exame.

Aqui pelas bandas do Recife, já estão falando em carnaval; o povo está com saudade de pular. “Até quando os ímpios, Senhor, até quando os ímpios saltarão de prazer?” (Salmo 94.3 | ARC). Nós não sabemos se acontecerá mesmo ou não, mas sabemos que Deus sabe tudo e os últimos tempos se apresentam com  acertos da justiça divina com os pecadores. O resultado da semeadura ao longo do tempo vem sendo colhido. Quem reparou, nesses últimos tempos, no seu pé que vacilava e reconheceu a necessidade do conserto foi sustentado pela benignidade de Deus.

“Bem-aventurado é o homem a quem tu repreendes, ó Senhor, e a quem ensinas a tua lei, para lhe dares descanso dos dias maus, até que se abra a cova para o ímpio” (Salmo 94.12-13 | ARC).

O ímpio é o que desrespeita a Deus e não aceita a correção. Para ele tem mais valor a caneca de fel da malícia, da sensualidade, do mundanismo do que a taça de unção da santidade. Entretanto, é feliz o homem que é repreendido e atende a repreensão, sabe compreendê-la, entende o seu teor, contempla o tempo da oportunidade e acerta-se com o Pai. “Bem-aventurado é o homem a quem tu repreendes, ó Senhor, e a quem ensinas a tua lei, para lhe dares descanso dos dias maus.”

Compreendam todos os pecadores os dias atuais. “Atendei, ó brutais dentre o povo; e vós, loucos, quando sereis sábios? Aquele que fez o ouvido, não ouvirá? E o que formou o olho, não verá? Aquele que argui as nações, não castigará? E o que dá ao homem o conhecimento, não saberá? O Senhor conhece os pensamentos do homem, que são vaidade” (Salmo 94.8-11 | ARC). Deus não está ouvindo tudo o que se diz nos antros pecaminosos? Deus não está vendo tudo o que é feito às escondidas entre quatro paredes? Deus não retribui conforme a obra de cada um? E o pecador não sabe que peca?

Reflita bem, examine minuciosamente todas essas perguntas formuladas nesse texto bíblico acima, verifique todo o seu contexto, que fala ao homem para acertá-lo. Que a humanidade não deixe passar a oportunidade que Deus está oferecendo. Amém.


Na alegria do Senhor, que é a nossa força,

Abdias Campos, servo do Deus vivo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem