Amparo Ligado

A Retidão Protege o Homem Íntegro, por Abdias Campos


Todas os momentos vividos precisam ser examinados por todos. Alguma luta pode se levantar para que o justo glorifique o nome de Deus (o justo entenderá isso); ou para que o disperso se aproxime mais do Senhor, desperte mais a atenção para as coisas de cima, não se perca; ou para que o pecador que vive na desumanidade, desafiando a Deus com suas atitudes desabonadoras, acorde, arrependa-se e viva. A verdade é que a Palavra executa sentenças em qualquer tempo sobre a condição de que: “Nenhum mal atingirá o justo, mas os ímpios estão cobertos de problemas” (Provérbios 12.21 | NVI).


A vida nos mostra um cenário no qual observamos os resultados do que se planta. A lei da semeadura mostra que ninguém é enganado naquilo que colhe. Quando somos integrados à caminhada com Cristo e nela prosseguimos na santificação e na renovação dos nossos planos, a retidão da Palavra nos protege de qualquer mal. No entanto, o desrespeito aos princípios dos ensinamentos de Cristo leva o pecador a nocaute pelos solavancos dos problemas que se acumulam através da sua conduta reprovável. “A retidão protege o homem íntegro, mas a impiedade derruba o pecador” (Provérbios 13.6 | NVI). O pecador é derrubado por sua impiedade. Impiedade é o desrespeito às coisas de Deus. Contudo, o homem íntegro, correto, digno, honrado é protegido pela retidão. O homem se torna íntegro quando renuncia a si mesmo, na prática, para viver a Palavra de Cristo em sua vida.


No momento em que o homem aceita entregar a vida a Jesus, torna-se sábio pela presença do Espírito Santo, que vem habitar nele. Quando começa a ministrar Cristo às pessoas, torna-se fonte de vida para livrar o próximo das armadilhas da morte. “O ensino dos sábios é fonte de vida e afasta o homem das armadilhas da morte” (Provérbios 13.14 | NVI). Quem entende bem age bem.


Chegando-se ao bom entendimento, chega-se à integridade daquilo que vem de Deus: o favor imerecido do Senhor. Todavia, o caminho do infiel, daquele que não permite que a sua fé venha, porque não ouve a Jesus, constitui-se num caminho de dificuldades, de aspereza à sua própria vida. “O bom entendimento conquista favor, mas o caminho do infiel é áspero” (Provérbios 13.15 | NVI).


A Palavra de Deus desejada, recebida e praticada num coração íntegro é uma luz que jamais se apaga. Com ela, o entendimento, a inspiração e o ânimo para fazer sempre a boa escolha só trazem frutos bons e duráveis. No entanto, ao rejeitar esse tão maravilhoso caminho, o mal continua a operar nas trevas. “Porque todo aquele que faz o mal aborrece [rejeita, odeia] a luz e não vem para a luz para que as suas obras não sejam reprovadas” (João 3.20 | ARC). A rejeição à luz tem por objetivo não revelar as más obras. Entretanto, se elas não forem reveladas, não podem ser condenadas, se não forem condenadas, condenarão.


“Mas quem pratica a verdade [a Palavra] vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus” (João 3.21 | ARC). As obras feitas em Deus, realizadas de acordo com a Palavra, por obediência à Palavra, devem ser manifestas, porque estão cheias de luz. A luz não pode ser escondida, porque sua função é iluminar as vidas ao redor, para testemunhar o Senhor Jesus. Todos podem testemunhar o Senhor Jesus; é só vir para a luz. Isso é maravilhoso. Isso é íntegro, é completo, é esplêndido. Aleluia. Amém. Glória a Deus.


Na alegria do Senhor, que é a nossa força,

Abdias Campos, servo do Deus vivo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Amparo Ligado