Após derrota no jogo de ida, o Atlético Mineiro entrou em campo determinado a protagonizar uma remontada em Belo Horizonte, para avançar às oitavas de final da Copa Sul-Americana. Porém, do outro lado havia um cascudo Unión La Calera, que não venderia fácil a classificação. No tempo normal, o Galo encontrou muita dificuldade, mas venceu, por 1 a 0. O resultado levou o duelo para os pênaltis. Nas penalidades, apareceu a figura do ídolo. São Victor! O goleiro atleticano defendeu três cobranças, e o Alvinegro triunfou, por 3 a 0.

Com o resultado, os comandados de Rodrigo Santana avançam na competição continental. Na próxima fase, os atleticanos poderão ter outro alvinegro pela frente, já que o próximo adversário sairá do confronto entre Botafogo e Sol de América, que se enfrentam nesta quarta-feira.

Amarração chilena

O jogo começou nervoso na Arena Independência, em Belo Horizonte. Logo com dois minutos de partida, o confronto já acumulava quatro faltas marcadas. O Unión La Calera era corajoso. Mesmo jogando fora de casa, os chilenos pressionavam a saída de bola atleticana, criando problemas para a defesa mineira.

Passados os primeiros minutos de instabilidade, o Galo ganhou campo e passou a ser mais perigoso. Aos 13, Patric fez boa jogada no ataque, tabelou e saiu de frente para o goleiro Batalla, que conseguiu abafar o lateral brasileiro e fez a defesa. Junto com a primeira chegada, veio a pressão alvinegra.

No lance seguinte, Luan avançou pela direita e deu belo cruzamento para Ricardo Oliveira. O centroavante desviou de cabeça e obrigou o arqueiro argentino a fazer mais uma bela intervenção. O camisa 9 seguiu tentando e chegou a balançar as redes, depois de novo passe do Menino Maluquinho. Porém, o jogador estava em posição de impedimento. Nada feito.

Mesmo com a forte marcação chilena, que abusava nas faltas, o Atlético seguiu com maior volume ofensivo. Pelo alto, o time da casa quase chegou ao primeiro gol com Igor Rabello, mas a bola saiu pela linha de fundo.

O Unión La Calera, com a vantagem no agregado, já no primeiro tempo, passou a minar a paciência do time adversário, através da boa e velha cêra. A demora nas reposições e os exageros na encenação das faltas recebidas causaram muita irritação na equipe mineira, que não conseguiu balançar as redes na primeira etapa.

Galo pressiona, vence e leva para os pênaltis

Como era de se esperar, o Galo voltou do intervalo aplicando uma blitz sobre a equipe visitante. O técnico Rodrigo Santana promoveu a entrada do jovem Alerrandro no lugar de Ricardo Oliveira. Entretanto, a pressão atleticana oferecia espaços para a saída ao ataque do Unión La Calera, que não aproveitou nos primeiros minutos.

O tempo era o maior inimigo dos mineiros, que viam o adversário supervalorizar cada segundo. Assim fez o lateral Andia, que sofreu falta de José Welison no meio de campo e demorou mais que uma eternidade para levantar.

O Atlético era todo ataque, mas faltava organização nas jogadas. Ao contrário da equipe visitante, que permaneceu seguindo à risca sua estratégia de povoar a entrada da área e fechar os espaços.

Até que, aos 25, os donos da casa conseguiram transformar a pressão em bola na rede. Luan deu ótimo passe para Elias, que apareceu como homem surpresa na linha de fundo e cruzou, na medida, para Alerrandro, que, com grande oportunismo, abriu o placar no Horto e deixou tudo igual no agregado.

Após o gol, o Galo tentou aproveitar o embalo do seu torcedor e buscou o abafa nos minutos finais. Porém, o Alvinegro esbarrou na agressiva marcação chilena. Fim de jogo e disputa por pênaltis.

São Victor: o defensor das penalidades alheias

Logo na abertura das cobranças, o goleiro Victor deu seu cartão de visitas defendendo a cobrança de Walter Bou. Na sequência, Fábio Santos tratou de colocar o Atlético em vantagem.

Se ainda faltavam motivos para canonizar o arqueiro alvinegro, não faltam mais. O camisa 1 utilizou a milagrosa perna esquerda para defender a penalidade de Leyton e, para fechar com chave de ouro, Victor apareceu para impedir que o pênalti de Larrondo entrasse. Restou a Luan e Leonardo Silva converterem suas cobranças para o Atlético se garantir nas oitavas de final da Sul-Americana.

O Gol