Amparo Ligado

A Ele a Honra, a Glória e o Louvor, por Abdias Campos

O homem de Deus não deve ser vaidoso nem sentir necessidade de ser visto, reconhecido e louvado pelas pessoas. Quando desse modo age, erra no testemunhar a Cristo, porque a instrução da Palavra de Deus é outra.


Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus” (1Coríntios 10.31 | ARC).


Cumprindo o fazei TUDO para a glória de Deus, ao fazermos a Sua obra, temos que desaparecer da cena, devemos ficar invisíveis naquilo que fazemos para a glória de Deus. O Senhor não divide glória com ninguém. “Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei” (Isaías 42.8a | ARC).


A glória do homem de Deus é vencer as tentações e se achar aprovado na revelação do Senhor Jesus, “para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo” (1Pedro 1.7 | ARC). O louvor, a honra e a glória são na revelação do Senhor Jesus e não na nossa. Não se busca glória para si, mas para o Senhor, “alcançando o fim da vossa fé, a salvação da alma” (1Pedro 1.9 | ARC).


Não devemos trazer os costumes do mundo para dentro da obra de Deus, dando publicidade aos nossos atos no Reino e dizendo que o fazemos para a glória do Senhor. “Mas, quando ajudarem alguém necessitado, não deixem que a mão esquerda saiba o que a direita está fazendo” (Mateus 6.3 | NVT). A glória do Senhor por si mesmo anda, expande-se, voa.


Sabemos que o mundo e até mesmo alguns dos nossos irmãos, ainda não amadurecidos na fé, facilmente tentam nos louvar quando recebem do Senhor algum favor por nossas mãos. Isso aumentará se nós nos dermos publicidade, oferecendo, no fundo, notoriedade a nós mesmos. Combata esse desvio ao invés de estimular. Os louvores e a glória pertencem a Deus e não ao homem.

Vamos nos lembrar de alguns casos bíblicos. Por exemplo, depois do milagre ocorrido na Porta Formosa, o povo correu para perto de Pedro e João, pasmo, maravilhado, os vendo como seres superiores (Atos 3), mas eles não aceitaram os louvores e os repreenderam. Outro fato aconteceu quando chegando na casa de Cornélio, este se ajoelhou aos pés de Pedro para adorá-lo, mas Pedro o admoestou (Atos 10.24-26), dizendo-o que era homem como ele. Na ilha de Malta, os nativos também viram Paulo como se fosse um deus (Atos 28.1-6). Na Grécia, trouxeram touros e grinaldas para fazer sacrifícios a Paulo e Barnabé, chamando-os de Júpiter e Mercúrio, achando que eram deuses que desceram a eles e se fizeram homens (Atos 14.8-18).


Todos esses servos de Deus atraíram a atenção do povo pelo testemunho de fé no Senhor Jesus, mas nenhum desses aceitou a glória de Deus para si. Pois qualquer referência de notoriedade que se faz a um homem de Deus diante do povo atrai facilmente os olhares do povo para esse. Não é por acaso que muitas denominações diminuem o número de membros quando o pastor é transferido para outro lugar. Entretanto, não devia ser assim, porque o Senhor Jesus jamais é transferido.


Portanto, o esforço do servo fiel que faz a obra de Deus é converter o povo inteiramente ao Senhor Jesus, mostrando que não somos nós, mas Ele é o operador da salvação, dos milagres, dos ensinamentos e do testemunho de fé, deixando claro que a glória é de Deus. Firme-se no Senhor. A Ele sejam a honra, a glória e o louvor. Amém.


Na alegria do Senhor, que é a nossa força,

Abdias Campos, servo do Deus vivo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Amparo Ligado