O cristão pode fazer mal a outro mesmo sem querer, apenas porque deseja ser educado com ele, quando o mesmo está precisando é de sinceridade, segundo a Palavra de Deus, e não de educação, segundo os conceitos do homem. Seguir o que está escrito nas Escrituras Sagradas é sempre o melhor.

Vejamos o que diz a Palavra acerca de quem sabe fazer o bem e não o faz: “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz comete pecado” (Tiago 4.17 | ACF). Ao ver o seu irmão se encaminhando para o precipício, através de um comportamento condenado por Deus, se a pessoa não o faz ciente do seu erro, e não age como sentinela do Senhor, está pecando. “Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; não o avisando tu, não falando para avisar o ímpio acerca do seu caminho ímpio, para salvar a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua maldade, mas o seu sangue da tua mão o requererei” (Ezequiel 3.18 | ARC).

Ao perceber o distanciamento de uma pessoa dos caminhos do Senhor e ao receber do Senhor a palavra de correção, corrige-se pela Palavra. Debaixo da autoridade do Senhor não se pode vacilar; deve-se agir. Não se deve ter um comportamento frouxo, para aparentar uma pessoa muito espiritual, além da Palavra, e educada segundo os seus próprios interesses. Façamos a obra de Deus, não a nossa.

Veja o que diz a Palavra do Senhor: “Ter respeito a pessoas no juízo não é bom” (Provérbios 24.23b | ARC). O juízo é de Deus, a sentença é de Deus. Se você coloca o respeito à pessoa que precisa ouvir a verdade acima do julgamento que a Palavra determina a ser feito, isso não é o bom. Não é bom para ela nem é bom para você. Não é bom para ela, porque continuará no erro e poderá se perder se não for avisada. Não é bom para você, porque não cumpriu sua missão perante Deus e diante daquele para o qual o Senhor o constituiu por atalaia. “Aquele ímpio morrerá na sua maldade, mas o seu sangue da tua mão o requererei”. Ter respeito a pessoas no momento do julgamento e não lhes falar a verdade não é bom.

Entretanto, é bom saber que só se exerce o julgamento pela Palavra, jamais pelo conceito moral do homem. É a Palavra que julga. Ou você tem a Palavra para corrigir ou nem deve abrir a boca para não fazer confusão. “Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça” (João 7.24 | ARC). Julgar segundo a aparência é julgar sob a visão do homem, que julga e condena por achar que o correto é o seu jeito de ver a vida. A reta justiça é a Palavra de Deus, justa e eficaz, que julga para salvar e não para condenar, julga para libertar e não para prender. Ser condenado ou preso é uma escolha da pessoa que recebe a correção e não aceita.

Siga o Caminho; vá em frente, olhos fitos no Senhor; empunhe a sua espada, que é a Palavra da justiça; faça a obra de Deus. “Cinge a tua espada à coxa, ó valente, com a tua glória e a tua majestade. E neste teu esplendor cavalga prosperamente pela causa da verdade, da mansidão e da justiça; e a tua destra te ensinará coisas terríveis [extraordinárias] (Salmo 45.3-4 | ARC). A causa da verdade é a causa da Palavra de Deus. A causa da mansidão é o modo de agir do Senhor Jesus. A causa da justiça é a salvação. Siga o Mestre!  Vença com Cristo! Viva o bem! Seja feliz! Amém e amém.


Na alegria do Senhor, que é a nossa força,

Abdias Campos, servo do Deus vivo